VOLTAR

,

03.04.2017

Postado por Raisa Rocha

Gauchão não é parâmetro, mas tá empolgando!

Veranópolis 0x2 Grêmio – Quartas de final Campeonato Gaúcho 2017

Este foi o segundo jogo em sequência em que o time titular do Grêmio foi muito superior ao adversário. E isto, longe de precisar forçar, criar uma porrada de grandes lances ou atingir brilhantismos. O jogo se desenrolou meio chato, inclusive, absolutamente por conta da disparidade técnica das equipes. O que mais importa é, como lembrou Ramiro ao final do jogo, a postura fora de casa, a mesma que nos levou a levantar a Copa no ano passado.

O jogo começou sob expectativas. O Veranópolis, claro, por ser um time do interior que atinge a fase final do Gauchão após dificultar, e muito, a vida do tricolor em plena Arena há cerca de duas semanas. E pelo lado azul, pelos retornos de Maicon e Geromel. Vê-los perfilados lado a lado com Grohe acelerou meu coração na entrada em campo. Ontem começou de fato o Campeonato que podemos mais do que nunca voltar a conquistar. E aqui, meu reconhecimento à diretoria e comissão pela atenção dedicada em voltar a pintar de azul o Rio Grande.

gremio4

O jogo mesmo só foi acontecer depois dos 20 minutos. Até ali, muitos erros de passes e o meio de campo congestionado. Parecia que o forte sol na cara deixava os jogadores confusos no gramado irregular do David Farina. O Vec seguia há léguas de distância de propor um jogo contra o imortal que, pouco a pouco, viu Miller e Luan se soltando e Maicon percebendo por onde orquestrar o time. E foi dos pés do nosso querido capitão desumano que Miller foi lançado num lance típico de Gauchão: o goleiro Reynaldo foi driblado pelo quique da bola e deixou passar pro equatoriano marcar e assumir a ponta da artilharia com 6 gols.

A bola entraria de uma forma ou de outra. Convenhamos que toda a lógica pende desde o princípio para o êxito do Grêmio nesses 180 minutos de confronto.

No segundo tempo, o Grêmio começou tão superior ao ponto de causar certo medo. Vai que numa dessas, desperdiçando chances, numa escapada surge o empate? Mas isso esteve longe de acontecer.

Luan perdeu um gol e eu só queria um GIF da reação do Renato. Foi tão sem explicação que o ídolo não conseguiu sequer esbravejar. O guri da 7 ainda perdeu outro, após rebote. Pedro Rocha faria golaço por cobertura não fosse o arqueiro se redimir da falha. Ainda tivemos tempo pra Barrios entrar, protagonizar lance de cassetada de programa dominical se espatifando sozinho com a bola e, a seguir, marcar o seu primeiro com a tricolor.

gremio 1

Pausa pra destacar Gastón Fernández. Ele ainda está chegando, mas em todas as oportunidades mostrou intimidade com a função da armação de jogo. Foi dele o belo passe pro paraguaio.

Maicon é um baita jogador, muda drasticamente a qualidade do toque de bola do time e seu poder na contenção empodera os parceiros aos avanços no ataque. Inadmissíveis são as implicâncias da torcida com ele, assim como com Luan. Geromel é sinônimo de soberania, cada vez mais conhecedor do time nas suas subidas e lançamentos pros atacantes. Essa dupla com Kannemann é das melhores coisas que a Arena do Grêmio já assistiu. Assim como o sonho que é ter Miller Bolaños e Luan comandando o ataque!

gremio3

O futuro somente aos deuses do futebol pertence. Mas com esse futebol, com o time completo, com os reforços que nos colocam num patamar de ELENCO qualificado (pra além do time), me empolgo. Os próximos 9 jogos serão decisivos se considerarmos que chegaremos às finais do Campeonato Gaúcho (desconsidero a Primeira Liga nesse cálculo): fase final com jogos de ida e volta e a definição da fase de grupos da Libertadores, com 4 rodadas em 4 semanas. Como disse, não quero me exaltar de forma precipitada, mas, com esse time, jogando essa bola… entreguem as taças!

 

Fotos de Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Ler mais da Raisa Rocha

Ler mais do Grêmio

Ler mais do Campeonato Gaúcho

A Bola que Pariu