VOLTAR

,

09.04.2017

Postado por Raisa Rocha

O Grêmio segue impossível, implacável!

Grêmio 5×0 Veranópolis – Quartas de final Campeonato Gaúcho 2017

O Grêmio tá jogando muito, muito mesmo. Tem sido até sem graça comentar as últimas partidas, confesso. É o melhor time do Gauchão, mesmo que a melhor campanha tenha sido obra do Novo Hamburgo – o nosso adversário nas semifinais, com primeiro jogo na Arena e a decisão da vaga no Estádio do Vale.

O grupo tricolor chegou num nível de coletividade raro. Vem jogando as partidas sozinho, o que se comprova por um fato que se repete: aos 45′ cravados os juízes assopram o apito final pela total falta de necessidade de continuar o Grêmio ali, pisando no time adversário em campo.

Não me tomem por arrogante, mas fato é que nenhum time do Rio Grande do Sul inteiro chega perto do que vem apresentando o tricolor.

Bruno Alencastro/Ag. RBS

Bruno Alencastro/Ag. RBS

Quem toca a bola, como o Veranópolis muito fez, não o faz com metade da qualidade que toca o Grêmio. Os times que marcam na saída de jogo não fazem da maneira sufocante que o intenso Grêmio faz. Quem tem habilidade no meio e constrói boas jogadas, como o Novo Hamburgo, está há milhas de distância da qualidade e velocidade das jogadas executadas por Miller, Luan, Pedro Rocha, Ramiro, Léo Moura, Edílson, Maicon, Michel e cia… a disparidade das equipes se escancara nessa reta final da competição. Se os investimentos são incomparáveis, o produto final, o jogo jogado também o é.

O Vec se propôs a não ser humilhado. Conscientes da muito improvável virada entraram desacreditados, com um discurso cabisbaixo de “buscar a perfeição” e de que a preocupação em campo não seria com o Grêmio, mas com si mesmos, tentando uma melhora com a relação ao desempenho do último jogo. E a proposta ruiu logo aos 46 segundos com uma entregada pro Miller, muito semelhante ao gol que JÁ haviam sofrido em Veranópolis, no jogo de ida…

No final de semana passado afirmei que o Grêmio não precisou forçar para ser (muito) melhor. Pois neste massacre na Arena, o Grêmio não precisou forçar para amassar o Veranópolis.

Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Em entrevista, Grohe contou que a melhora no time passou pelo ajuste na postura defensiva. Simplificando, o muralha disse que se o time marcar direitinho, na frente tem jogadores que botam pra f****. Claro que ele não usou estes termos, qualquer um conhece o tom eclesiástico do jogador. Mas esta é a moral da história.

O que estão jogando Miller e Luan é coisa de fazer chorar, um casal perfeito. Saiu das costas de Luan o peso do protagonismo. O guri olímpico é referência dentro de campo, ninguém deveria discutir isso e estar sem ele desengrena a coisa toda. Mas sempre se esperou que, além de ditar todo o jogo, ainda fosse o cara a matar a jogada. Luan não é este cara, Miller sim.

Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O equatoriano gosta do gol, tem tesão pela coisa. The Killer pega a bola com sede, já mirando as redes. Luan pega a bola e costura, procura pelo toque e continuidade da jogada. É aí que se completam os dois craques. Eles mandam no jogo, buscam a bola no momento da recuperação da posse e giram o campo todo junto dela. Oras pela direita, oras pela esquerda, de centroavantes, vindo de trás, pra lá, pra cá… É mágico!

Barrios e La Gata começam a mostrar serviço. Foi golaço o que fez o paraguaio ontem! Colocar os dois naquela Primeira Liga foi só porque alguém tinha de estar lá. Quando o jogo está quente, com o time de verdade, o titular, surge a qualidade de ambos. O argentino pode dar muitas alegrias ao tricolor orquestrando a meia cancha, vislumbro um ataque enlouquecedor! Barrios tem tudo para repetir sua constante na carreira: boa média de gols por onde passou. Mais uma vez ressalto os muitos méritos de Renato na condução do elenco, todos sabem que o time está pronto e que não vai rolar carteiraço.

Bruno Alencastro/Ag. RBS

Bruno Alencastro/Ag. RBS

Agora tudo é Libertadores. Após 32 dias de espera, a nossa Arena do Grêmio vai pulsar pra receber o Deportes Iquique, o segundo melhor time chileno da atualidade. Copa é Copa, tudo pode acontecer. Se a empolgação continuar só na torcida e os jogadores entrarem com o mesmo foco das últimas partidas, vai dar Grêmio! Me despeço, com dificuldades em pensar em outra coisa que não as 21:45h do dia 11 de abril. Até lá, tricolores!

 

Ler mais da Raisa Rocha

Ler mais do Grêmio

Ler mais do Campeonato Gaúcho

A Bola que Pariu