VOLTAR

,

29.05.2017

Postado por Colaboradoras

Pontinho suado!

Atlético 2×2 Ponte Preta – R03 Campeonato Brasileiro 2017

Estamos apenas na terceira rodada do Campeonato Brasileiro e o Galo já dá sinais que não perdeu alguns de seus (novos) velhos hábitos: não consegue administrar vantagem e, quando perde a bola, não tem consistência na defesa para se garantir.

Com um empate fora (contra o Flamengo) e uma derrota em casa (contra o Fluminense), iniciamos o domingo precisando pontuar e com a responsabilidade de mostrar ao Brasil quem manda no Horto.

bruno cantini1

Quem acompanhou a campanha da Ponte Preta no Paulistão sabia que subestimar a Macaca não seria prudente. E o Galo partiu para cima deles, como de praxe. No primeiro lance do jogo, Cazares tenta encontrar Marcos Rocha com um chutão. Aos oito minutos, Cazares tenta de novo, mas Aranha defende.

A Ponte marcava forte e o Atlético, ainda que tivesse mais “bola no pé”, estava previsível demais lá na frente. Contudo, o primeiro gol do Galo saiu justamente de um lance “manjado”: Cazares encontra Marcos Rocha (em um lançamento longo para o outro lado do campo) que, por sua vez, encontra Robinho – e gol!

bruno cantini2

E aí veio o desastroso segundo tempo. Com apenas quatro minutos, a Ponte empatou e virou a partida (os dois gols de Lucca com duas assistências de Lins, que subiu livre pela esquerda). Victor ainda salvou o Galo de levar uma goleada.

Felipe Santana e Fábio Santos não inspiravam a menor confiança. Tanto foi que Victor quase se nocauteou com a cabeça do zagueiro em um ato de desespero para tirar a bola que, aparentemente, sairia dali para longe mesmo sem a sua intervenção.

bruno cantini3

Enfim, depois dos gols da Ponte, voltou a reinar o efeito Monty Python sobre o meio de campo do Galo.

Roger colocou Maicosuel (outra vez) no lugar de Adílson no momento mais delicado do jogo, deixando Elias “preso” lá atrás. Posteriormente, Cazares deu lugar a Rafael Moura e Robinho a Otero (nada de diferente em relação ao último jogo, pela Copa do Brasil).

A diferença foi que, dessa vez, He-Man conseguiu encontrar o gol aos 34 minutos, salvando o Galo do efeito Monty Python.

bruno cantini4

Enfim, pontinho suado esse! Até quarta-feira não existe mais Campeonato Brasileiro e o Galo precisa recuperar a moral no Horto e se classificar para a próxima fase da Copa do Brasil.

 

Imagens de Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

Por Marina de Mattos Dantas

Ler mais do Atlético Mineiro

Ler mais do Campeonato Brasileiro

A Bola que Pariu