VOLTAR

,

12.05.2017

Postado por Jéssica Mendes

Feio demais

São Paulo 1 x 1 Defensa y Justicia

Não é apenas o fato de amargar a terceira eliminação em um mês, não é apenas perder três vagas em mata-mata por vacilos dentro de casa (sim, porque TODAS as classificações que perdemos nos escaparam dentro de casa), não é apenas por ter perdido a vaga para um time que jogara pela primeira vez fora de seu país, não é apenas porque tivemos duas semanas somente de treino e tempo suficiente de preparo, nem só porque jogamos pelo ralo o primeiro semestre do ano, é porque jogamos feio, muito feio, feio demais.

Luis Moura - Wpp

Luis Moura – Wpp

O jogo começou enganador. Com menos de um minuto de jogo, Pratto fez um gol que acabou anulado pelo bandeira pois estava em posição de impedimento. Uau, menos de um minuto e o time naquele gás. Dá-lhe pressão do tricampeão mundial na inexperiente equipe, sobretudo em competições internacionais. A lógica era essa. Aos 5’ do primeiro tempo abrimos o placar com um belo chute de longa distância de Thiago Mendes. Vish, vai ser goleada. Ledo engano.

Quatro minutos depois, a vulnerabilidade da defesa composta por Lucão e Rodrigo Caio mostrou as caras e levamos o empate. O jogo ficou um pouco mais tenso, mas tudo bem, o São Paulo jogava em casa, tinha mais 80 minutos para fazer pelo menos um gol e uma equipe infinitamente superior tecnicamente. Somos um clube tradicional em competições internacionais, mas…camisa não ganha jogo, história não ganha jogo, (embora pouco numerosa) torcida não ganha jogo. Os jogadores ganham jogo, o técnico e os jogadores ganham o jogo.

Djalma Vassão

Djalma Vassão

E ontem, o que se viu foi um espetáculo de horror. Ninguém acertava um passe curto (gente que nervoso!), cruzamento nem pensar, nada dava certo. Pratto e Gilberto mal conseguiram pegar na bola, ela não chegava na frente, finalizamos raríssimas vezes. Cueva e Júnior Tavares estavam irreconhecíveis. Acho – espero – que Lucão e Neilton tenham feito suas últimas participações com a camisa tricolor. Não dá mais, principalmente o zagueiro. Sinto muito, mas a “promessa” da base não conseguiu despontar no profissional e talvez consiga se ajeitar em algum outro clube.

Bruno e João Schmidt jogaram muito, mas muito abaixo do que se espera. Rogério errou na escalação e demorou para mexer. Uma pena!

Não alimento esperanças em relação ao campeonato brasileiro, mesmo. Se não cair estaremos no lucro. Se não houver uma mudança radical para a única competição que nos resta no ano, será uma temporada lastimável.

Ler mais da Jéssica Mendes

Ler mais do SPFC

A Bola que Pariu