VOLTAR

,

09.06.2017

Postado por Raisa Rocha

Que jogo louco, que loucura este Grêmio!

Chapecoense 3×6 Grêmio – R05 Campeonato Brasileiro 2017

Sou do Grêmio e nós vivemos de loucuras…

Eu confesso que nunca vi, não desse jeito, 9 gols num jogo de Campeonato Brasileiro e ainda com o visitante dando um esculacho no time da casa. Esta noite de 08 de junho de 2017 materializou as maravilhas que justificam o irracional, a paixão e a loucura que só o futebol é capaz.

Foi um jogo feio, pegado e muito louco. Michel fez dois gols em minutos, um deles um golaço do meio de campo com a perna esquerda que Deus lhe deu e o melhor, foi sem querer querendo! O volante ia feliz pra casa sendo o destaque da partida quando entrou um tal de Everton, aos 13’ do segundo tempo. E com dois toques na bola ele tinha dois gols na conta, dois toques na bola, não havia participado de nada antes, nem tabelinha. E o Cebolinha ainda fez um terceiro, um hat-trick. Luan deu 4 assistências, fez o seu gol, apanhou, jogou muito. Ah, os goleiros também tiveram seus minutos com suas falhas e, para Grohe, o habitual chamariz nas ceras…

Márcio Cunha/Especial

Márcio Cunha/Especial

Mas, eu gostaria de ressaltar a violência praticada pelo time da Chapecoense, beirando a deslealdade em vários momentos. Também não deixarei passar em branco a incompetência do árbitro, que não soube lidar com o clima do jogo e foi caseiro.

A Chapecoense entrou disposta a quebrar o Grêmio e se jogou futebol por 20 minutos foi muito: jogou na parte final do primeiro tempo, depois de fazer um gol e quase conseguiu o empate (Kannemann tirou de cima da linha!). Jogou um pouquinho também no começo do segundo tempo, até o Everton entrar e acabar com tudo. De resto, o time catarinense só bateu e parou o jogo. Aliás, foi difícil de o jogo acontecer ou a bola rolar, seja pela atitude dos times, pela cera dos jogadores ou pelo gramado, baleado de tanta chuva, um potreiro.

A arbitragem de Rodolpho Toski Marques foi temerária e poderia ter estragado a festa. Amedrontado, demorou demais para soltar os cartões e me admira muito não ter tido nenhuma expulsão. O Luan já estava puxando o braço e o Léo Moura era outro que ia apanhando bastante quando num mesmo lance amarelou Kannemann e Cortez. Mas, aqui se faz e aqui se paga, em lance seguinte falta dura pro Grêmio (sem amarelar a Chape, claro), e dali saiu o segundo gol. O fato é que tinha cartão prum lado, mas não pro outro. O clima esquentando, os jogadores se estressando e ele lá, passivo. O gol deles, convenhamos, talvez eu mesma assinalasse e não foi o ápice. Difícil foi engolir o Jandrei quase quebrar o Pedro Rocha no meio e nada de pênalti, mas logo a seguir penalidade pro time da casa. A bola bateu mesmo na mão do Cortez, mas tenha dignidade! Depois disso, Everton meteu o terceiro, impedido, e saiu barato!

chape x gremio - lucas uebel gremio fbpa03

Têm sido cada vez mais difíceis as partidas do Grêmio, os adversários buscam parar o tricolor de qualquer forma com marcações fortes e próximas. O caso é que as tentativas são de não deixar Luan jogar. Arthur também tem sido vigiado de perto. Barrios nos dois últimos jogos esteve preso e sem espaços. As trocas de passes têm exigido muito mais movimentação tricolor e Ramiro e Pedro Rocha tiveram muitas dificuldades em se soltar pro apoio. Os laterais também sentiram, quase não passando do meio de campo. Mas, convenhamos, o Rei de Copas tá sabendo lidar com isso tudo com muitos gols.

Pisca alerta pra cera – Grohe repetiu tudo, cheguei a ver um Kannemann implorando pra que ele levantasse e seguisse o jogo, coisa que o arqueiro ignorou e chamou a maca! Ramiro é outro que gosta de um teatro. De qualquer forma, conseguiram quebrar o Barrios e o Léo Moura. Que bom que se safaram ilesos Luan, Michel e Pedro Rocha, apesar da pancadaria…

chape x gremio - lucas uebel gremio fbpa06

Durezas a cada nova rodada à parte, o tricolor está muito seguro de si, confiante, sabe que se buscar vai conseguir a vitória. Os jogadores se conhecem, se encontram em campo e temos no elenco muita qualidade individual, o que vem resolvendo esses jogos. O esquema de jogo está mais do que consolidado e quem entra sabe o que fazer. Aliás, em vários casos não sei quem é reserva ou titular… E nós temos jogadas ensaiadas, como essas saídas na cara do goleiro que acontecem jogo após jogo, por trás da zaga e na velocidade. E tem bola aérea, tá crescendo a média de gols em bola parada! E o contra-ataque tricolor é mortal, coisa que o Renato botou assim que chegou e só tem aprimorado.

Efetividade é o nome do Grêmio com Renato, foi-se embora aquela coisa tranca ruas que tornava cada gol um parto. E hoje o Grêmio também joga sem a bola, passando alguns apuros, sim, como neste jogo em Chapecó, quando temi pelo empate em alguns momentos. E o que aconteceu quando o empate deles parecia tão próximo? Barrios machucou, Everton entrou e fez os milagres que nós já sabemos muito bem… A sorte também está ao lado.

Sorte de campeão? Sabemos que existe. Pode soar ridículo, esta é recém a quinta rodada. Mas o Grêmio quer todas que vierem e tá jogando pra isso, está impressionante.

 

Fotos de Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Ler mais da Raisa Rocha

Ler mais do Grêmio

Ler mais do Campeonato Brasileiro

A Bola que Pariu