VOLTAR

,

05.07.2017

Postado por Raisa Rocha

Vitória rápida, difícil e de Libertadores

Godoy Cruz 0x1 Grêmio – Ida das Oitavas de Final da Copa Libertadores da América 2017

Pouco antes dos 40 segundos de jogo Pedro Rocha invadia a área pela esquerda em jogada que se consumaria aos 44 segundos, com gol de Ramiro. Estava lá o Grêmio abrindo o placar cedo, na casa do adversário, novamente. Estava lá o Grêmio querendo a Copa e marcando o gol mais rápido de um visitante em toda a história da Libertadores e o mais rápido da edição deste ano.

Das melhores coisas que poderiam nos acontecer, a melhor foi este gol de pronto, antes da chuva engrossar, pra garantir um cenário onde a tranquilidade e a experiência do time dariam conta de manter o resultado.

O tricolor poderia ter feito mais gols, mas também Marcelo Grohe garantiu que o Godoy Cruz não fizesse nenhum. Nosso goleiro, nosso guri, fez uma partida como há muito tempo não fazia e praticou defesas essenciais. Esteve seguro a noite toda, principalmente nas bolas aéreas, que geralmente nos causam alguns calafrios e que foi a grande arma do time argentino.

O duelo foi equilibrado, mas não pela técnica. Foi pela rispidez na marcação que o Godoy Cruz segurou o Grêmio. Fazia parte da estratégia de Renato dar um pouco de campo pra eles, mas o tricolor também não conseguiu girar a bola e tramar seu jogo quando quis. E isto foi também obra do clima, que tratou de igualar as coisas em campo com uma forte chuva que emplastou o gramado. O pasto de Mendoza tornava difícil correr, jogar, e escorregadas dos dois times foram constantes no embate.

Destaco também a GRANDE dupla que fazem Michel e Arthur. Afinadíssimos, parceiros intocáveis, entendem tudo da função e comandam o meio de campo. Quem diria que teríamos reposição tão à altura para Wallace e Maicon… A dupla titular de 2017 marca com eficiência, transmite extrema confiança e segurança pro time e pro setor defensivo, além de que sabem jogar, sabem colocar a bola em jogo e participar do ataque com qualidade.

Andres Larrovere/AFB

Andres Larrovere/AFP

Outro destaque vai pra maturidade do tricolor, citada por Renato e explícita na partida de ontem. Que time mais Copeiro que tá esse Grêmio do Portaluppi! Tá certo que o gol cedo facilitou as coisas, mas também eles tiveram o jogo inteiro para buscar. Sereno, focado, consciente da força do seu conjunto, é este o Grêmio que vence e venceu fora de casa, mais uma vez.

Destaque, portanto, pra comissão e pela preparação escolhida pra este jogo eliminatório. Poupar no Brasileiro se justifica por esta vitória de um time que sabe o que quer e como atingir seus objetivos. No Estadio Malvinas Argentinas o Godoy Cruz mostrou a intensidade do seu elenco jovem e tentou, mesmo que quase que unicamente aberto pelas linhas de fundo e com bolas aéreas. E o Grêmio jogou sem beleza sabendo se defender e sofrer, sem se apavorar.

Destacar Kannemann, Geromel e Luan é rotina e, sem me demorar, jogaram muito mais uma vez. A dupla de zaga foi intransponível e o atacante, sempre que teve a bola tentava criar espaços e administrar a partida. Eles são retratos da maturidade e da tranquilidade tônicas do Grêmio em campo.

Por último, destaque pra camisa branca do Mineirão!

Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Lucas Uebel/Grêmio FBPA

A camisa branca copeira imortalizada na conquista da Copa do Brasil 2016. A camisa branca do Pedro Rocha, nada mais nada menos do que o nosso camisa 9 nesta fase decisiva da Libertadores. O Grêmio ontem vestiu mais uma vez esse manto que tanto nos orgulhou no ano passado; porque o time da casa é de cores azul e branco e porque a segunda camisa do Grêmio é azul celeste (a terceira geralmente é lançada somente no segundo semestre).

O roteiro embalado pela sorte de campeão segue completando seus episódios com o Grêmio avançando na história, cada vez mais perto das Copas. Nada está resolvido, mas chegar pro jogo de volta, na Arena do Grêmio, com esse gol especial fora de casa é vantagem. Mais ainda porque o time de Mendonza entrará em pré-temporada e já começa a sofrer alterações no seu elenco. Está tudo no jeito, na Copa do Brasil e também na Copa Libertadores da América.

E agora, atééé que voltemos a pensar em jogos de mata-mata, teremos inúmeras rodadas pelo Campeonato Brasileiro. Dá tempo de descansar, de voltar a apavorar o Corinthians, de dar ritmo aos jogadores que retornam e aos que chegam.

Andres Larrovere/AFP

Andres Larrovere/AFP

 

Ler mais da Raisa Rocha

Ler mais do Grêmio

Ler mais da Copa Libertadores da América

A Bola que Pariu