VOLTAR

,

28.09.2017

Postado por Colaboradoras

Vitória colorada para garantir a liderança isolada. Estamos voltando!

Internacional 2 x 1 América MG – R26 Campeonato Brasileiro Série B de 2017

Jogo quarta à noite, dentro de casa. Partida que vale seis pontos e liderança isolada. Estádio cheio, torcida apoiando. Time completo, dentro das possibilidades. O cenário todo era benéfico para o Inter e por isso mesmo eu estava temerosa com essa partida.

galeria_foto_a47735e373f32972e3fa8c938b431842

Quem lembra dos Campeonatos Brasileiros mais recentes, em que o Inter sempre deixava a chance escapar quando tinha a faca e o queijo na mão? Seja para alcançar a liderança, como em 2006 e 2009, seja para escapar do rebaixamento, como no ano passado. Aquelas derrotas para o Vitória e Botafogo dentro de casa ainda queimam na minha mente, e ficam naquele “se tivesse ao menos empatado poderia ter escapado do rebaixamento”. Mas enfim, isso é coisa do passado, e para alegria da massa colorada o Inter de 2017 não deixou a chance escapar e levou os três pontos da vitória.

O inicio do jogo foi tenso. O time estava visivelmente nervoso, justamente pela importância que o jogo representava e acabava não se encontrando em campo, errando passes, e assim as primeiras chances de ataque foram do coelho mineiro.

Somente a partir dos dez minutos é que o jogo começou a equilibrar e o Inter a chegar com mais efetividade ao ataque. D’Alessandro cobrou uma falta perigosa, mas que foi defendida pelo goleiro João Ricardo. Sasha também chegou ao ataque, mas foi parado pelo goleiro.

Aos 27’ o placar foi aberto. Em uma bela jogada criada pelo mestre colorado, D’Alessandro driblou o jogador do América, que deve estar até agora procurando a bola, e levantou para dentro da área. Edenílson, que raramente entra na grande área, subiu mais alto que todos e cabeceou a bola para o fundo das redes: 1X0 e alívio nas arquibancaesdas do Beira-Rio.

galeria_foto_50611907af16ea1c649441f6f11dc457

O alivio e a vantagem, porém, não duraram muito. Aos 39’ Luan entrou na pequena área pelo lado esquerdo e empatou com um belo gol, cobrindo o Danilo Fernandes. Fim de primeiro tempo e placar igualado.

No segundo tempo as coisas começaram melhor para o Colorado. As mais de 35 mil pessoas presentes cantavam e empurravam o time em direção ao gol, mas a bola não parecia querer entrar. Pottker mandou no travessão logo no primeiro minuto do segundo tempo. Sasha tentou marcar, mas o goleiro acabou defendendo.

Aos 15’ a chance de gol mais gritante acabou em confusão. Pottker recebeu um lançamento sensacional do D’ale e foi em direção a goleira, livre, com apenas o goleiro a sua frente.  Só que João Ricardo se atirou em direção ao camisa 99, o derrubando e acabando com a jogada. O árbitro marcou a falta, mas deu só um cartão amarelo, quando o correto era o vermelho, pois Pottker estava com chance clara de gol. Além de tudo, João Ricardo ficou jogado no chão durante sete minutos, sentindo o choque e fazendo uma cera inexplicável.  O técnico Enderson Moreira pediu para o goleiro reserva aquecer para a substituição, mas o arqueiro pediu para continuar em campo. Quando D’ale foi cobrar a falta, ele caiu no chão de novo, interrompendo o jogo novamente e finalmente pedindo a substituição. No lugar entrou o goleiro Fernando Leal.

galeria_foto_c7403499fb54a6eff0c94478911304b1

 O jogo seguia difícil e o burburinho nas arquibancadas começava. Até que o Guto resolveu fazer trocas: saem D’ale e Sasha e entram Camilo e Nico Lopez. O desempate saiu do banco de reservas. A jogada começou com lançamento do Uendel para Camilo que cabeceou para trás em direção a Nico Lopez, que não titubeou e encheu o pé para empurrar a bola pra dentro e decretar a vitória.

Não foi o melhor jogo do Inter nessa série recente de nove vitórias em dez partidas. Longe disso. O time começou o jogo desligado, dando espaço para o América MG jogar e chegar com facilidade no ataque, e usou e abusou da ligação direta. Mas tudo bem, o objetivo principal, a vitória, foi atingido. Se não for com habilidade e troca de bola, que seja com raça e um banco de reservas de qualidade.

Por Thaianny Pontes

Fotos Ricardo Duarte/Internacional

Ler mais do Internacional

A Bola que Pariu