VOLTAR

,

16.10.2017

Postado por Colaboradoras

O desanimador Flamengo

Chapecoense 0 x 1 Flamengo – R28 Campeonato Brasileiro 2017

Quando muitos rubro-negros se colocam na posição de pessimistas, fique atento, pois é algo raro. Rubro-negros são seres humanos diferentes, naturalmente motivados, basta um pouquinho de esperança que você os verá berrando aos quatro cantos suas expectativas.  Rubro-negros param cidades, trânsitos e até aeroportos. E tudo isso, mesmo quando não possuem o concreto, eles desejam o abstrato de forma tão fervorosa que ninguém é capaz de impedir tal insanidade.

Na virada de 2016 para 2017 já tinha flamenguista fazendo planos para o tão esperado ano mágico, cheios de expectativas. Estamos em outubro e o elenco já aparenta estar em clima de férias, até aqui uma temporada de muita expectativa e frustação em dobro. Esse ano acumulamos eliminações, decepções e se continuarmos nesse ritmo elas só aumentarão. Ainda sem a vaga para a Libertadores o time parece estar tranquilo com o retrospecto mediano.

Cão que ladra não morde, se falarem isso do Flamengo não terei como contestar. Falou demais, contratou, choveu dinheiro e astros. “Modelo de gestão” eles esbravejaram. E cá estamos frustrados e procurando na memória em qual momento o espírito aguerrido se perdeu, arrisco dizer que deva estar embaixo de algum montante de dinheiro na gávea.

 

Foto: Marcelo Baltar/Globo Esporte

Foto: Marcelo Baltar/Globo Esporte

Para dona Maria e o seu João que são apaixonados pelo Flamengo, pouco impacta na vida deles os números da diretoria. Relevante é alegria de ver o Flamengo sendo Flamengo; jogando com garra; conquistando títulos; para eles o que vale é o amor pelo clube.

Luxa avisara “eles não sabem nada de futebol”. E se contestar o trabalho, eles demonstram que não entendem de Flamengo também, lançam ofensas para todos os cantos e contra a torcida que é o maior patrimônio do clube. Mas não admitem a falta de planejamento e o fracasso no futebol. Chega até ser um problema enigmático. Jogadores? Corpo mole? Diretoria? Os únicos que não podem levar essa culpa são os torcedores, apoio nunca faltou e nunca faltará independentemente da situação.

Traumas, muitos traumas esse ano deixarão na cabeça do torcedor. Só de escutar a palavra pênalti a cabeça já vai a milhão, ontem perdemos mais um. Dessa vez dos pés de Everton Ribeiro, e que cobrança horrorosa. Ao menos aparenta que finalmente o Diego Alves apoderou-se do gol, ontem foi gigante mais uma vez e fez importantes defesas. A definição da partida veio dos pés de outro Diego, que foi decisivo e fez o que a torcida espera dele.

Gilvan de Souza/ Flamengo

Gilvan de Souza/ Flamengo

Mesmo com a vitória ficou a sensação de que não há o que se comemorar. A partida contra a Chapecoense foi aquele clima de fim de festa, só que o grande problema é que o Flamengo esse ano nem fez festa e ainda está no meio de duas para tentar salvar o ano, é o que a torcida espera, mas o que se vê é um elenco aparentemente à espera das comemorações do ano novo.

Por Jaqueline Botelho

Ler mais do Campeonato Brasileiro

A Bola que Pariu