VOLTAR

,

30.11.2017

Postado por Colaboradoras

Eu te amo, Grêmio

Lanus 1 x 2 Grêmio – Final Libertadores da América 2017

Passei a quarta-feira oscilando entre “meu deus, vamos ser tri da américa” e “vai dar tudo errado, não quero nem ver esse jogo”. Foi o dia mais longo já registrado na história, um minuto durava 8765 segundos. Não deu para trabalhar direito, não deu para pensar em mais nada que não fosse esse jogo.

E que jogo! O título mais importante e cobiçado do continente, um dos jogos mais importantes da história do Grêmio. Chegou o dia, chegou a hora.

Muita gente me critica por eu, na maioria das vezes, ser extremamente corneta e pessimista em relação ao Grêmio. Todos esses anos que o clube passou sem conquistar um título me deixaram assim, acho que foi meio que um mecanismo de defesa que eu criei. Depois de tantos anos sofrendo, chorando, cheguei a pensar que nunca mais veria o Grêmio voltar a ser o campeão que sempre foi.

1

Em 2007 acredito ter sido a derrota mais dolorosa, em todos esses anos sem títulos, de todos os times que o Grêmio montou até 2016, aquele foi um dos que mais merecia ter levantado uma taça. Desde então esperamos pelo dia de hoje, há 10 anos que esperamos por essa noite, há 10 anos esperamos pra soltar esse grito que estava entalado na garganta.

Goethe lotada, dor no estômago, suando frio, e o suspiro de alívio veio já no primeiro tempo. E logo dos pés de quem? Fernandinho. Do inferno ao céu, de criticado a ovacionado. Nunca mais te esqueceremos, Fernandinho, muito obrigada por esse gol.

Aliás, é incrível pensar na importância direta que alguns jogadores altamente criticados tiveram nesse título. Jael, Fernandinho, Bressan. Jogadores que já foram praticamente escorraçados pela torcida (e com razão), na noite de ontem deixaram para trás tudo isso e entraram para a história desse clube.

Bressan foi um monstro, mostrou que podemos confiar nele e honrou o lugar do Kannemann.

Arthur foi um monstro. Luan foi um monstro. Jaílson foi um monstro.

2

Queria poder fazer uma análise melhor do jogo, mas hoje não dá. Hoje eu sou só emoção, já perdi as contas de quantas vezes tive que me esconder no trabalho porque comecei a chorar. A garganta dói, a ressaca está horrível, mas eu nunca estive tão feliz na minha vida.

Esse time merecia muito esse título, nós gremistas merecíamos muito essa Libertadores. E agora ela é nossa, agora nada mais importa.

Muito obrigada, Renato, eu nunca mais vou esquecer essa noite, e é tudo culpa tua. O “motivador que pegou um time montado” conquistou A AMÉRICA. Desde 83 que teu nome já faz parte das glórias do tricolor, e depois de ontem nada mais apaga essa história.

3

Agora é esperar o mundial. PODE VIR CRISTIANO! Aqui ninguém vai se mixar pra ti.

GRÊMIO, GRÊMIO, NÓS SOMOS TRI CAMPEÕES DA AMÉRICA!

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio

Por Camila Souza

Ler mais do Grêmio

Ler mais da Copa Libertadores da América

A Bola que Pariu