VOLTAR

,

19.03.2018

Postado por Roberta Pereira da Silva

Entre o luto, a luta e o jogo do Santos

Botafogo 0 x 0 Santos – Quartas-de-final Campeonato Paulista 2018

Volto à folha em branco, marcada pela dor, de uma quarta-feira pra lembrar por toda nossa vida. Levaram Marielle e A Bola que Pariu silenciou-se como o grito mais alto que poderíamos dar. Não escrevi portanto sobre o histórico jogo de quinta-feira, Santos 3×1 Nacional, pela fase de grupos da Libertadores. Também não fui ao jogo, mesmo estando há poucos metros do Pacaembu, eu e milhares estávamos caminhando, juntas (os) num entrelaçar de dor e desejo de mudança e indignação.

Daniel Teixeira

Daniel Teixeira

O caminhar até a praça Roosevelt estancou meu choro e me fortaleceu para continuar. Quero sugerir contudo o texto de um companheiro de escrita, o Sr. Caio Nascimento, colunista do Portal Santista Roxo e da ESPN FC, lá você encontrará um relato emocionante e preciso sobre a partida que silenciei.

Santos 3×1 Nacional: quando o Leão do Mar rugiu mais alto

Ontem, Santos x Botafogo enfrentaram-se pelas quartas-de-final do Paulisteco e os primeiros minutos da partida davam ares que veríamos um espetáculo como fora a partida de quinta. O rei dos cartões amarelos chutou cara a cara com o arqueiro, que espalmou. A bola foi direto nos pés de Rodrygo, que chutou na trave. O Botafogo num contra-ataque quase converteu. Só não o fez porque temos o melhor goleiro do Brasil, invisível ao olhos do Tite, reverenciado e amado por nós. Foi só. Depois disso nada mais aconteceu. A apatia tomou conta do Leão.

Rogerio Moroti/Futura Press

Rogerio Moroti/Futura Press

Não consigo aceitar ou de certo modo compreender a irregularidade desta equipe. E olha que não podemos reclamar do sex symbol Jair. Ele finalmente ouviu o grito da torcida e deixou Vecchio no banco, Dodô assumiu a lateral, Jean Mota jogou pelo meio, Rodrygo começou como titular e Citadinni (nunca critiquei) foi o melhor em campo.

Tenho um palpite para a apatia: o Santos não pode jogar com o uniforme camuflado. A estampa traz azar. Preciso dizer porquê?

A conquista da vaga ficou para quarta-feira na Vila-mais-linda-do-mundo. Certa de que teremos casa cheia.

Ah, já ia me esquecendo do pluft plaft zoom.

Bruno Henrique até agora não foi a lugar algum. Sim, minhas caras leitoras e leitores, BH deveria estar no EUA pra concluir o tratamento ocular contudo, pasmem, perderam o passaporte do cara…

Enfim quarta estaremos juntas (o) na Vila comemorando meu aniversário e a classificação.

 

Ler mais da Roberta Pereira da Silva

Ler mais do Santos

Ler mais do Campeonato Paulista

A Bola que Pariu